sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Tesourinhos da sociedade lisboeta


Realmente, Lisboa tem umas coisas fantásticas!! (eu hoje até queria escrever um post cheio de positivismo, porque estou bem disposta. Mas não vai dar, valores mais altos se levantam!)

Desde que me mudei para a bela capital lusitana que tenho experienciado uns momentinhos realmente únicos! Velhotas a discutir porque X chegou 2 minutos depois delas à paragem e entrou primeiro no eléctrico, condutores que estacionam os carros no meio da rua e que quando são chamados à atenção se acham no direito de manter a maior calma do mundo e ainda refilar porque têm de mudar o carrinho de sitio, criancinhas sem o mínimo respeito pelos outros e pseudo-adolescentes que em cada 3 palavras 5 são asneiras (e das pesadas!!), etc. etc. etc... Fico maravilhada com estes tesouros da sociedade lisboeta...

Mas bem, este desabafo todo porque hoje assisti à seguinte cena:

Sujeitinho X com não mais de 11, 12 anos dentro do autocarro, acompanhado dos restantes colegas de escola, estava gritando e cantando a plenos pulmões com umas quantas palavras inadequadas pelo meio, para incómodo de todos os outros cidadãos; ora numa paragem a criatura levanta-se para vir á porta gritar (mais um pouco) a outras crianças que tinham saído e uma senhora Y aproveita a oportunidade para se sentar naquele lugar.

O X, que voltou para dentro diz: "Deve tar a brincar comigo nao!?"

ao que a Y respondeu "nao. tu levantaste-te e eu sentei-me!"

X: "entao mas isto é assim? nao viu que as minhas coisas estão aqui!? esse é o meu lugar! Vá masé la pra frente que vocé é uma idosa e vai pros bancos vermelhos que eu não tenho de lhe dar o meu lugar, ai o CA***** an! Vá salte daí, temos pena, olha a mer**"

Y: "Temos pena temos... que sejas malcriado"

X: "Pelo menos eu nao ando aí a trabalhar na esquina à noite!"

e por ali continuou... até que o miudo decidiu sair e do autocarro e mandar toda a gente pro CA*****!!


Eu fiquei simplesmente boquiaberta. Tanto com o miudo como com as pessoas que, entendi depois, já vinham a aturar aquilo há n paragens e outras há n dias, que simplesmente lhe dão atenção em vez de um bom raspanete!!


Bom, é um facto que nem toda a gente é assim e não se deve julgar o todo pela parte. Como tal, peço desculpa a todos os velhotes que me deixam sempre entrar no eléctrico à sua frente e aos (poucos) condutores que correm para o carro com um "desculpe, desculpe" entre os dentes quando têm de mudar o carro de sítio.

1 comentário:

Cláudia disse...

Sem comentários!!!!
Mas hoje em dia, miúdos mal educados é o que mais há!