quarta-feira, 30 de junho de 2010

One more day, in this upside down world

terça-feira, 29 de junho de 2010

segunda-feira, 28 de junho de 2010



Minto... um duche fresquinho a seguir, sabe ainda melhor! ;)

run Forrest, run


Custa sempre a vencer a preguiça. Custa sempre trocar os chinelos pelos ténis. Custa sempre levantar o rabo gordo do sofá.

Mas quando vai, racha! Não há nada melhor que uma corridinha ao final do dia :)

domingo, 27 de junho de 2010

Sou só eu

que acho que a Marina (juri do achas que sabes dançar) está péssima naquele look de hoje?!

Hoje foi assim


sábado, 26 de junho de 2010

Make no plans

They will be ruined!



Caaaaaaaaalmaaaaaaaaa!!

Inspira, aguenta, expira, relaxa, força um sorriso, olha p'ro sol, revira os olhos, volta a forçar e sorri.

Deixa ir, segue as vontades, não planeies, planeia, desiste dos planos, tenta relaxar, pára de pensar.

sexta-feira, 25 de junho de 2010

terça-feira, 22 de junho de 2010

A pílula que mudou o mundo


O aparecimento da pílula veio dar às mulheres a possibilidade de controlar a sua vida sexual. Veio separar o prazer sexual da procriação. "Ter um filho (...) é um acto de vontade de mulher e homem, não é só a vontade de Deus".

Quando surgiu este comprimidinho mágico, as taxas de natalidade, bem como as da mortalidade infantil diminuíram drasticamente. Foi um período de libertação, de ascensão e de poder das mulheres. Mas foi também um período pouco reflectido. Hoje, a facilidade com que se toma a pílula (sem precisar de receita médica, sem restrição de idade ou rastreio de doença) torna assustador o número de mulheres que a tomam pelas razões erradas. E se por um lado foi uma das maiores e melhores invenções do Homem, por outro tem sido mais um caminho para a irresponsabilidade dos dias de hoje.

"Às vezes parece que a natureza vem repor a ordem. O reverso de não ter havido essa reflexão foi a Sida, que compromete gravemente a liberdade que a pílula trouxe".


(um artigo bem interessante na máxima)

segunda-feira, 21 de junho de 2010

(des)Confiança. O que é isso afinal?


É tomar como certo tudo aquilo que o objecto da nossa confiança nos diz? Ou é querer que seja verdade tudo o que ouvimos? Se calhar nenhuma das duas... uma vez que a 'confiança' se constrói nos actos e não nas palavras. Mas então perdem importância as palavras? Ou acreditamos tanto nelas como nos actos? Mesmo sabendo que nem sempre temos a coragem de dizer o que fazemos nem a audácia de fazer o que afirmamos.

Confiança, o que é isso afinal?

sábado, 19 de junho de 2010

Para acalmar o pânico...


Primeira manhã de férias: limpeza ao roupeiro! Adoro!

Há melhor maneira de começar o Verão do que experimentando todos os modelitos que vamos puder exibir pela praia e nas festas!? :)

sexta-feira, 18 de junho de 2010


Hoje, pela primeira vez a sério, percebi como é ridículo usarmos expressões exageradas em situações quotidianas. Coisas do género "Tou em pânico! (porque não vou chegar a horas àquele compromisso super importante)", ou "Estou a entrar em desespero (porque não encontro, dentro das 50 camisolas que tenho, uma boa para usar hoje"... Isto porque hoje estive realmente em pânico e entrei mesmo em desespero. Nunca me tinha acontecido. Graças a Deus não foi por nada muito grave e acabou tudo bem, mas é uma sensação horrível...

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Eu nasci no país errado!

Giovana Antonelli
Mariana Ximenes


Taís Araújo

Lavínia Vlasak


Alinne Moraes

Juliana Paes


Último dia de estudos..... e o bichinho de Verão já meeeexeeee :)

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Nem estudo nem descanso


Sabem quando estamos quase de férias, mas ainda a trabalhar, e já só conseguimos pensar nas mil e trezentas coisas interessantíssimas que vamos fazer quando finalmente estivermos de férias? É esse o estado em que me encontro... E aposto as unhas da mão esquerda em como depois de uma semana, já esgotei ou desisti de metade das coisas que agora me impedem de concentrar no estudo!! Ai.. desgraça...

terça-feira, 15 de junho de 2010

sábado, 12 de junho de 2010

Soneto de Fidelidade

De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.
Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento
E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama
Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

Vinicius de Moraes

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Maré de sorte, esta!!


Esta semana tem sido ficar com portas de frigoríficos na mão, esparramar esparregados inteiros no meio do chão, deixar o carro ir a baixo regularmente, marcar consultas e deixar as receitas noutra cidade.... ai ai... quando mudam as marés!?

quinta-feira, 10 de junho de 2010


Parece-me que vou finalmente ceder à maquilhagem. Não se chateiem comigo, mas sim, eu sou daquelas poucas sortudas a quem aparecem 3 borbulhas por ano e que têm a pele lisinha e sem manchas (pelo menos por enquanto). E como tal é raro, e por raro entenda-se mesmo muuuuiiito raro, usar qualquer tipo de maquilhagem.

Mas pronto, vou agora iniciar-me nesse mundo fantástico de bases e sombras, batons e rimel! Já tenho alguns produtos que me foram oferecendo... mas não tenho as coisas básicas essenciais... Aliás, nem sei bem o que é que realmente importante. E é aqui que vocês entram. Caríssimas, quais são os produtos básicos que tenho de comprar para me por toda bonita, mas natural?! Vá, lá... dêem uma mãozinha e ajudem a transformar o patinho no cisne :)

Eu admito...


Tenho um problema. (é este o primeiro passo não é?). Pois sim, eu tenho um problema.
Não resisto a um problema. É esse o meu problema. Confuso? Passo então a explicar. Acho sempre que devo ajudar os outros nos seus problemas, mesmo quando eles não pedem, ou até quando eles não vêm o problema. Não o faço premeditadamente nem com segundas intenções, faço-o porque sinto sempre que posso/sei/consigo ajudar. E a parte mais inocente de mim grita: isso é bom!! Ajudar os outros é bom. Mas a parte mais vivida e racional (que quase não deixa espaço à inocência) sabe que não é assim tão bom, e que por vezes é mesmo errado e só traz problemas. Daí eu ter um problema! Entendem!?
Não pensem que levo isto de ânimo leve. Tal não levo que até já me vou dedicando ao passo dois: arranjar soluções para o nosso problema. Ora bem, há alturas em que tenho de ser capaz de observar e perceber que esta pessoa não quer a minha ajuda, ou que se para ela não é um problema, eu não tenho nada para resolver e etc. Pois bem, segundo passo dado. Nem sempre é a tempo, mas já vou aceitando que por vezes não é aquele o meu lugar, o de ajudar.
Acho que estou no bom caminho, não?

Mesmo assim, enfio o pé na argola e ajudo quem não quer a minha ajuda, e remoo na consciência não ajudar quem eu acho que precisa... Acho que sou incurável! Damned!!

segunda-feira, 7 de junho de 2010

what if?


Porque é que passamos o tempo a sonhar a vida que não tivemos, as amizades que perdemos e os sonhos que deixámos morrer?...

Juro que sou feliz.


Mas às vezes apetecia-me tanto vive-la, reencontra-las e reanima-los...

sábado, 5 de junho de 2010


Cheguei recentemente à conclusão que penso demais. Sim, isso mesmo. Eu, que passo a vida a refilar que o problema das novas gerações, incluindo a minha, é não pensar, estou em processo de aceitação de que eu penso demais. Continuo a achar que a malta de hoje é muito pra frentex sim senhor, mas que não pára para pensar nas coisas, e bato o pé nisto! Mas após recentes discussões e várias horas dedicadas à arte de pensar (lá está.... VÁRIAS horas!), percebo que realmente a minha mente anda um bocadinho mais rápido do que seria normal, e como 'depressa e bem há pouco quem', o adjectivo complicada assenta-me que nem uma luva. Denote-se que não é esse o meu estado normal. Sou pela simplicidade sempre que consigo! Mas quando a coisa começa a fervilhar cá dentro, penso, penso no porquê de estar a pensar, e na razão de pensar acerca do que penso! E a coisa baralha-se um pouco..



Solução: não pensar!? (como é que não se pensa????)

sexta-feira, 4 de junho de 2010

quinta-feira, 3 de junho de 2010

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Transportes em Lx


Qual novelas mexicanas qual quê! Experimentem andar de transportes todos os dias e vão poupar uns dinheirinhos na tv cabo!

Hoje apanhei menininhas ao telefone a explicar que "sempre tinham tido uma 'queda' pelo X, mas que como agora estão com o Y, de quem a A gosta, mas disse não se importar, ficam felizes por o X ser feliz com outra mulher"; apanhei duas fulanas a roubar uma velhota (FULA!!! Fiquei fula!!! Porque a velhota estava ao meu lado e só disse 'realmente falta me a carteira' depois de eu perguntar quinhentas vezes se tinha tudo na mala (porque me parecia haver ali marosca) e de as ditas cujas já terem saído do autocarro... Logo, não consegui fazer nada!); malta a discutir os seus negócios pouco legais e as injurias da vida em plenos pulmões "que ele recebeu 5000 pra ficar calado e quem paga a escola à miúda é a avó" e as habituais diversões do costume.

Queridos, deixem o mp3 em casa, há tanta coisa interessante para ouvir nos transportes!! (or not)

terça-feira, 1 de junho de 2010

Do we really miss being kids?


Ou é apenas uma frase que usamos quando as coisas boas da "vida dos grandes" custam a alcançar?