domingo, 18 de abril de 2010

Reflexos do amor


Não há amor melhor que aquele que nos obriga a rever-nos e às nossas acções. Regra geral é no nosso "mais que tudo" que descarregamos a pilha imensa de feitios e manias que todos temos, portanto, são eles os sábios dos nossos "detalhes a emendar" (por assim dizer).

Este fim de semana foi (além de tudo o resto) um óptimo exercício de reflexão. Tantas vezes dizemos "contigo não tenho de fingir, posso ser eu mesma", mas isso não serve de desculpa para descarregarmos os humores no homem só porque estamos cansadas do trabalho, nem para estarmos de trombas todo o dia só porque não temos de "fingir estar felizes". Não! E eu meto o pé na argola tantas vezes nesse jogo... E ele diz com a maior simplicidade deste mundo que "para eu conseguir fazer bem a tantos outros tenho de descarregar o mal em alguém, e ele aguenta".

Mas quem merece mais as nossas boas acções que aqueles que nos apoiam mesmo durante as más? Não é justa a recompensa com cansaços e impaciências.

Há que ser calmia depois da tempestade, ser paciente com os humores e tolerante com as impaciências. E acima de tudo, há que saber reconhecer os passos mal dados, as palavras injustas, e, não voltar atrás porque para a frente é que se ama, mas correr para a frente, com ganas de amar melhor.

1 comentário:

Raquel disse...

Que lindo texto, que linda reflexão. São sem duvida aqueles que nos fazem crescer e melhorar enquanto seres-humanos que nos amam mais.
Bjs