quarta-feira, 3 de março de 2010


Estava eu na paragem do eléctrico, abrigada da chuva que teimava em não parar de me chatear, quando chega um velhinho todo ele de bom aspecto e cara seca (escapara-se à chuva). Ora, como manda a terceira idade, estar na paragem do eléctrico obriga a sentar o rabiosque. Mas surge a situação inesperada (ou esperada, uma vez que ele estava prevenido) de estar o banco todo molhadinho. E eis que, preparadíssimo para tal eventualidade, o senhor velhinho saca dos guardanapos do bolso e começa a limpar o banco, e limpou, não só um pedaço para se puder sentar, mas tudo quanto conseguiu limpar até já só sobrar papel ensopado. Na monotonia do meu estado de espírito não pude deixar de ver e pensar "oh, que velhinho amoroso, limpou o banco para ele e para quem mais se quiser sentar", e o meu coração aqueceu um bocadinho... Mas só para 5 segundos depois voltar a arrefecer, com o "amoroso do velhote" a mandar o papel mesmo pro meio da estrada, divertidíssimo porque os carros não o estavam a pisar!

1 comentário:

A Flor disse...

Oh não é assim tão mau, papel ensopado já não pode ser reciclado, além disso é 100% biodegradável, o que significa que com uma chuvada desaparece sem deixar rasto ou poluição.