segunda-feira, 15 de março de 2010

Ainda bem que há dias assim


...como o de ontem.

O sol, invejoso, fez questão de não nos largar por um minuto. E nós agradecemos em risos bem rasgados.

Descobri que brilhas mais nos dias diferentes, que me enches mais nos relvados do jardim, que tens mais cor quando estás à beira rio. Encontrei mais um nó que não quero desfazer. O nó das ocasiões especiais, que se há de entrelaçar no sabor das coisas pequenas no nosso comum. Ai, surpresas em dias de sol...

Levaste-me ao engano, e enganada me tiveste sorridente todo o tempo. Fizeste-me feliz com as coisas simples, para, quando estava já preenchida, me mostrares que não tem fim o nosso sorriso. Deste-me a mão no jardim, cuidaste de mim com preocupação, deixaste bem claro que aquele era o meu dia! E sendo meu, aproveitei cada bocadinho, devagar...

Quando me pediste que fechasse os olhos, já tudo tinha valido a pena. Mas não foi com menos entusiasmo que entrei pelas portas do ccb, com os olhos enrugados, pronta para ver música e ouvir danças. E vi, vimos, e ouvi, ouvimos, e dançámos!

Estava cansada quando o espectáculo acabou, mas serena. E tu, incontornavel, mantiveste-me no escuro para me voltar a fazer brilhar! Já cúmplices nos segredos, deixámos que as docas nos vissem saborear Itália, na companhia que não podia ser mais certa. Entre histórias e planos se passaram as horas leves da noite, até pesar demais o cansaço. E aí, a melhor surpresa de todas, pude descansar no teu abraço.

2 comentários:

...Ju... disse...

são tão bons os dias assim! :)

Pocahontas na Cidade disse...

Também quero :)