segunda-feira, 26 de julho de 2010


Hoje senti-te, tão claramente que não sei explicar. Chamei por ti e tu respondeste.
Depois do choro e da mágoa, recolhi os cacos e tu vieste. Com a beleza dum bando de pombas brancas e a certeza duma rajada de vento na cara. Estavas lá, estás aqui. Acalmaste-me o coração e renovaste a certeza de que me carregas nos teus braços, quando me falha o chão. Obrigado

2 comentários:

...Ju... disse...

é bom quando assim é... o contrário ´´e bem pior :(

Raquel disse...

Está sempre lá, não é? Gostei do teu post. :)

PS: Voltei! Beijinhos